O que você procura ?
close
close
O que você procura ?
Produtos recomendados
É necessário preencher o campo de busca
O que você procura ?
close
close
O que você procura ?
Produtos recomendados
É necessário preencher o campo de busca

Esta é uma loja de Demonstração da Dooca Commerce. Todos os produtos e preços são fictícios.

O que você procura ?
close
close
O que você procura ?
Produtos recomendados
É necessário preencher o campo de busca
shopping_cart

Produto adicionado ao carrinho!

O que você deseja fazer agora?
shopping_cart

Produto adicionado ao carrinho!

O que você deseja fazer agora?

Por que a nova coleção de Carolina Herrera está causando polêmica no México

Por que a nova coleção de Carolina Herrera está causando polêmica no México

A nova coleção da grife Carolina Herrera causou desconforto no governo do México, segundo informou a BBC nesta quinta-feira (13). Em carta enviada à maison pela secretária da Cultura do país, Alejandra Frausto, a estilista venezuelana, criadora da marca e um ícone da moda, e seu sucessor, o designer Wes Gordon, são acusados de apropriação cultural.

A coleção de primavera/verão 2020, batizada Resort, é inspirada na “alegria de viver” da América Latina. No site de Carolina Herrera diz que as peças da linha tem o "clima lúdico e colorido de um feriado latino".

No entanto, a autoridade mexicana reclama que a marca incorporou desenhos que representam a identidade de povos indígenas de algumas regiões do México. Na carta, o governo do país pede a Herrera que explique “publicamente” os fundamentos que levaram a marca a usar esses elementos, cuja “origem está plenamente fundamentada”.

Frausto acredita que as peças em questão são parte de um debate mundial sobre os direitos culturais dos povos indígenas. Além disso, a ministra solicita à estilista que esclareça se as comunidades serão beneficiadas com as vendas da coleção.

A senadora Susana Harp, do partido Movimento Regeneração Nacional (Morena), também se manifestou sobre o assnto e criticou a marca em sua conta no Twitter. No país, a hashtag #MéxicoSinPlagio ("México sem plágio", na tradução literal) tem sido usada para mostrar oposição à label.

"Por muitos anos, temos tentado impedir que grandes marcas e designers, que de maneira desrespeitosa, tomem os elementos dessas culturas, sem se aproximar das comunidades ou trabalhar junto com elas", disse Harp em um vídeo postado em seu feed no Twitter.

Há pouco mais de um ano, Carolina Herrera deixou a direção criativa da marca e passou o cargo a Wes Gordon. Hoje ela é a embaixadora oficial da label.

Um porta-voz disse que a marca reconhece o trabalho dos artesãos mexicanos e que esta coleção particular foi inspirada "nas cores ricas e técnicas artesanais da cultura", de acordo com a agência de notícias AP.

Fonte ClicRBS
compartilhe
Utilizamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso site. Ao continuar navegando você concorda com a nossa política de privacidade.